Informativo Dipolo Elétrico n° 2 – Capacete de Segurança

Informativo Dipolo Elétrico n° 2 – Capacete de Segurança

www.topeletrica.com.br NR10 Curso Online

O capacete é um objeto que serve para proteger a cabeça de impactos externos. Existem capacetes para várias aplicações, variando quanto à segurança oferecida. No caso dos motociclistas, os capacetes protegem em caso de quedas ou colisões, capacetes de aplicação militar, por sua vez, protegem contra objetos ou destroços atirados contra o usuário, já os capacetes de segurança – chamado de equipamentos de proteção individual (EPI), utilizados em fábricas e construções, protegem contra queda de objetos ou ferramentas.

Esses capacetes são utilizados em todas as áreas onde oferecem risco, como por exemplo na construção civil ou elétrica (prédios, ferrovias, barragens, estradas, subestações e também no interior de certos tipos de fábricas ou em minas). São um dos principais itens de Segurança do Trabalho.

NR10 Online
Procurando Recolocação no Mercado? Com os Cursos NR10 da TOP Elétrica é Muito mais Fácil!
www.topeletrica.com.br

Os capacetes de segurança são formados por dois componentes, a suspensão e o casco:

Suspensão: é a parte do capacete que é ajustada a cabeça e evita, em casos de impacto, que o casco entre em contato com a cabeça, responsável por absorver o impacto.
Casco: é a parte do capacete que fica apoiada na suspensão. Em caso de impacto, evita que o objeto atinja a cabeça do usuário. Geralmente são constituídos de polietileno.
NR-10 www.topeletrica.com.br

Em alguns casos os capacetes possuem viseiras adaptadas / resistentes e/ou protetor auricular. Também podem ser do tipo Aba Frontal e Total.
NR-10 www.topeletrica.com.br
 Capacete com viseira e protetor auricular
NR-10 www.topeletrica.com.br
Conforme apresentado na publicação do dia 28/03/2014 “Segurança em Eletricidade – Histórico”, o surgimento dos primeiros EPIs foram ocorrer somente na década de 50 onde foi implementado como medida de segurança, de forma obrigatória, a utilização do CAPACETE. Nesta época ele era conhecido como o “balde de miolo”, nome dado devido o material ser muito duro e sua aparência com o conhecido balde.
A partir deste momento houve muita evolução até chegarmos nos modelos de capacetes utilizados atualmente. 
A utilização dos capacetes é a forma mais simples e eficiente para minimizar os danos causados por acidentes com impactos na região da cabeça. 
Para cada atividade específica existe um tipo de capacete correto para utilização, são divididos em duas classes conforme a atividade do trabalhador.
Classe A: Não se aplicam a trabalhos com energia elétrica
Classe B: Se aplicam a trabalhos com energia elétrica
A informação da classe do capacete, fabricante, data de fabricação e Certificado de Aprovação deve constar em todos os capacetes na parte inferior da aba.
De acordo com a Norma Regulamentadora nº 06 (NR-06) do Ministério Do Trabalho e Emprego, a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, de forma gratuita, Equipamento de Proteção Individual adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento.
Aprovação
Os itens de segurança só tem o uso válido como Equipamento de Proteção Individual com todas as devidas aprovações e certificações necessárias, conforme normas do Ministério do Trabalho e Emprego.
As normas estabelecem que o fabricante nacional ou o importador deve estar cadastrado e o EPI deverá obter Certificado de Aprovação (CA) antes da comercialização. Este Certificado (CA) deverá ser renovado quando vencido seu prazo de validade, e deverá ser requerido novo CA quando houver alteração das especificações do equipamento aprovado.
O capacete de segurança deve atender aos padrões mínimos previstos na NBR 8221, através dos ensaios: 
1. Ensaio de Resistência ao Impacto; 
2. Ensaio de Resistência à Penetração; 
3. Ensaio de Inflamabilidade; 
4. Ensaio de Absorção de Água; 
5. Ensaio de Rigidez Dielétrica (para os capacetes casse “B”.)
NR-10
Teste de Rigidez Dielétrica de Capacete Classe B

O EPI deve conter também as informações referentes aos processos de limpeza e higienização, indicando, quando for o caso, o número de higienizações acima do qual é necessário proceder à revisão ou à substituição do equipamento, a fim de garantir que o mesmo mantenha as características de proteção original.

Limpeza

Para limpeza deve mergulhar o capacete por 1 minuto num recipiente contendo água com detergente ou sabão neutro. O casco deve ser limpo com pano ou outro material que não provoque atrito, evitando assim a retirada da proteção isolante de silicone (brilho), fator que prejudica a rigidez dielétrica do mesmo. Secar a sombra. Evitar atrito nas partes externas, mal acondicionamento e contato com substâncias químicas.
Algumas dicas para o uso correto do Capacete:
Regule corretamente a suspensão;
Não use o capacete danificado ou com defeito;
Conserve o capacete sempre limpo;
Não altere sua coloração;
Seja consciente
Equipamentos de proteção podem reduzir em até 70% dos acidentes causados em obras, reformas e até salvamentos. A falta deles pode resultar em graves acidentes como quedas, queimaduras, cortes, entre outas coisas.
A multa para quem não utiliza equipamentos de proteção é uma das mais altas do Brasil. Além disso, a falta de utilização pode resultar em algo mais grave, como a MORTE.

Procurando Recolocação no Mercado? Com os Cursos NR10 da TOP Elétrica é Muito mais Fácil!
www.topeletrica.com.br

No Comments

Post A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.